terça-feira, 19 de julho

Drosophyla – Madame Lili

O Drosophyla é o bar perfeito para quem gosta de ambientes alternativos e uma decoração diferente. Ele é brasileiro e global, barroco contemporâneo, um local que vai além de ser um bar, mas sim uma sensação! “um pequeno lugar para grandes coisas”, na intenção de criar uma experiência total. Uma viagem no tempo, Madame Lili convida a todos para um drink ao entardecer e para jantar. O bar foi inspirado na história e trajetória de Madame Lili Wong, artista de muitos talentos foi pintora, atriz e poetisa. Nascida em Shangai, se casou com um alemão e mudou-se para o Brasil em 1925. Inicialmente instalaram-se em uma casa estilo”cottage” de influência germânica da ex Rua Florisbela 17.

PARTE 1

Depois de quase 30 anos na Rua Pedro Taques, o bar reabriu na Rua Nestor Pestana, no Centro boêmio da cidade na Consolação. Agora com o complemento “Madame Lili” no nome, a mansão tombada foi construída em 1920 e com projeto atribuído a Abelardo Soares Caiuby, a nova proposta é privilegiar um clima mais intimista em detrimento dos grandes e ruidosos grupos de pessoas. Ele mantém a mesma linha da decoração anterior, com vários objetos exóticos, inusitados e irreverentes, garimpados do mundo todo. O andar de baixo é estilo alemão, enquanto o de cima oriental. No pátio, uma jabuticabeira e sofás deixam o clima amistoso para papear com os amigos. Para completar o ambiente intimista paredes de madeira, janelas com detalhes de vidro e espelho e sofás espalhados pelo espaço, dando um clima de aconchego.

PARTE 2

 

Para comer, as receitas são uma mistura de culinária brasileira com polinésia. O Francesinho Mon Amour, uh-là-là, com queijo Camembert assado inteiro ao forno com pesto de manjericão, cogumelos e lascas de alho, os bolinhos de shimeji, os quadradinhos de tapioca com queijo coalho e geleia de pimenta e a clássica porção de filé aperitivo com molho mostarda, acompanhada de fatias de pão italiano. Para beber as caipirinhas exóticas, como a de bergamota com pimenta e a de carambola e manjericão, além dos drinques “funcionais” como o jasmineiro, feito de vodca, Aperol, xarope de cardamomo, limão-siciliano, água com gás e chá de jasmim.

 

 

 

 

 

SIGA-NOS NO INSTAGRAM