quarta-feira, 03 de agosto

As Mulheres nas Olimpíadas Rio 2016

Boa notícia para o empoderamento feminino. O Rio de Janeiro é a edicão olímpica com maior porcentagem de mulheres na história das Olimpíadas. De 2,2% em Paris-1900, o número cresceu para 45%, segundo a expectativa do Comitê Olímpico Internacional. E somente em Londres 2012 que as mulheres puderam participar de todas as modalidades do programa olímpico.

Se antigamente a participação das mulheres parecia estranha e ruim, hoje a igualdade de gênero no esporte se transformou em uma prioridade no Comitê Olímpico Internacional (COI): “incentivar e apoiar a promoção das mulheres no esporte em todos os níveis e todas as estruturas, visando implantar o princípio da igualdade entre homens e mulheres.”

Hoje destacamos 5 mulheres mais do que poderosas, que têm a chance de conseguir medalhas e representar o nosso país com muito orgulho!

Yane Marques

Yane será a segunda mulher a carregar a bandeira brasileira na cerimônia de abertura, feito antes por Sandra Pires. A atleta foi bronze em 2012, em Londres, no pentatlo moderno, modalidade que reúne atletismo, natação, tiro, esgrima e hipismo. O resultado nas cinco categorias são somados e os medalhistas são aqueles que somarem mais pontos. A pernambucana foi eleita por voto popular.

 

yanne

Tammy Galera e Juliana Veloso

Tammy e Juliana conseguiram a vaga para as Olimpíadas a pouco tempo. Na quinta passada elas venceram a prova sincronizada no trampolim de 3 metros no Troféu Brasil de saltos ornamentais, que estava sendo disputada em Brasília. A dupla ocupa a 12a posição no ranking mundial e tem treinado pesado para a competição.

jul-tam

Poliana Okimoto
Poliana comecou a nadar com 2 anos e é apaixonada pela água desde então. Mas não é nas provas de 25 e de 50m que ela se destaca e aonde se achou. Seu talento para resistência a fez bater o recorde nacional nos 400m do campeonato paulista e aos 14 anos, venceu o Troféu Maria Lenk, um dos principais torneios da natação brasileira. Em 2005 Poliana resolveu trocar a piscina pelo mar, participando da maratona aquática. Ela está entre as melhores do planeta, com grandes chances da medalha de ouro.
polly
Flávia Saraiva
A ginástica brasileira andava numa posição não muito favorável depois do último lugar nas olimpíadas de Londres. Mas as esperanças voltaram com a espoleta Flávia Saraiva, que começou a aparecer nas competições das categorias de base em 2014 e, no ano passado, assumiu a titularidade na equipe principal. A carioca de 15 é especialista nas provas de salto sobre o cavalo e solo, destacando-se pela forca e explosão nas acrobacias. Ja ganhou medalhas nas últimas etapas do campeonato mundial e no pan-americano da juventude.
https://www.youtube.com/watch?v=fxurIH4jxM0
flavia

SIGA-NOS NO INSTAGRAM