quinta-feira, 15 de setembro

8o IN-EDIT Festival

Nesse final de semana acontece a 8a edição do In-Edit, festival internacional de documentário musical. Entre os dias 7 e 18 de setembro serão exibidos 57 filmes que unem a primeira e a sétima arte (música e cinema, respectivamente). Eles contam a história de importantes nomes da música e o que acontece por trás de movimentos culturais nacionais e internacionais.

O festival acontece nos cinemas CineSesc, Centro Cultural São Paulo, Galeria Olido, Matilha Cultural e Cinemateca Brasileira e possuem entrada gratuita, exceto no CineSesc. Dentro da mostra internacional 18 filmes em estréia nacional de Wilko Johnson, Mavis Staples e The Residents, entre outros. Já a mostra nacional conta com documentários sobre Luiz Gonzaga e o funk carioca.

O homenageado da edicão é o premiado diretor britânico Tony Palmer, presente em diversas fases musicais relevantes para a cultura mundial. O festival exibe 8 títulos do cineasta, de artistas como Beatles, Maria Callas, Leonard Cohen, Yehudi Menuhin e Cream.

INEDIT

 Separamos 5 filmes imperdíveis!

Eat that Question – Frank Zappa in His Own Words

Frank Zappa por ele mesmo. O músico, o artista, o cidadão, o pai de família, o personagem. Estão todos aqui. A partir de uma cuidadosa coleção de entrevistas e participações televisivas, o diretor Thorsten Schütte retrata Zappa utilizando suas próprias palavras. De sua famosa aparição tocando uma bicicleta até suas últimas aparições, acompanhamos a evolução de uma figura genial.

 

 

All My Loving

Em 1968, o mundo parecia que ia explodir. Guerra Fria para uns, guerras sanguinárias para outros e muita contestação e protestos por parte da população civil. Na trilha sonora, rock and roll.
Tony Palmer descreve a agitação desse período e nos traz um retrato urgente de seguidores e detratores da revolução geracional daquele momento. Fundamental para quem quer entender a época.

 

I Am the Blues

Um passeio pelo Rio Mississipi para conhecer como está hoje o berço do blues. Nesse caminho, músicos aposentados e outros anônimos contam sua relação com o gênero. Das composições, de suas trajetórias ao lado de nomes como Howlin’ Wolf, Muddy Waters ou BB King e das cicatrizes que a vida lhes deixou. Gente que continua levando a vida à base de duríssimas jornadas de trabalho, mas que todas as noites pega seus instrumentos para registrar os seus lamentos e continua se reunindo com os amigos para tocar e trocar experiências. A alma do blues.

https://vimeo.com/145293516

 

The Beatles & WWII

Em 2005, Tony Palmer leu um artigo sobre o obscuro filme The Beatles and World War II, de Susan Winslow. Lançado em 1976 e tendo ficado apenas duas semanas em cartaz, a obra trazia uma colagem de filmes antigos e cenas de reportagens de guerra para contar a história da Segunda Guerra Mundial. Tudo isso com trilha sonora do quarteto de Liverpool, cantada por Rod Stewart, Tina Turner, Bee Gees, Brian Ferry, entre outros.

Mavis!

Mavis Staples é uma das vozes mais poderosas e emblemáticas da música negra norte-americana. Como cantora principal do Staple Singers, grupo liderado por seu pai e formado por ela e seus irmãos, Mavis começou no circuito gospel, passou ao soul e ao blues e fez história com suas gravações para o seloStax, sempre rodeada por sua família. Aos 75 anos, ela não cogita descer do palco e coloca o público de pé por onde passa.Para contar sua carreira, Mavis lembra de momentos históricos e de uma vida muito diferente de outras grandes estrelas da música pop.

SIGA-NOS NO INSTAGRAM